Bem-vindo à Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região!

Horário de Funcionamento de 13:00 às 19:00

Av. Getúlio Vargas, 455 / 4° andar Centro , Juiz de Fora, MG

(32) 3215.7100(32) 3217.9846

05Mar

Deputados prometem união em 2014


por: Tribuna de MInas

A recém-lançada e inédita frente parlamentar em defesa dos interesses de Juiz de Fora na Câmara dos Deputados veio para ficar. Pelo menos é o que garante os deputados federais Júlio Delgado (PSB), Margarida Salomão (PT) e Marcus Pestana (PSDB). Nem mesmo a possibilidade de estarem em lados opostos em 2014, dado o propósito revelado por PT, PSDB e PSB de lançarem candidatos a presidente, deve alterar o compromisso assumido pelo trio com o prefeito Bruno Siqueira (PMDB). Por ora, eles estão empenhados na inclusão das obras viárias no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na obtenção de mais recursos para despoluição do Rio Paraibuna e na conclusão da BR-440 e da reforma do Museu Mariano Procópio. A longuíssimo prazo há ainda viabilidade do contorno ferroviário, para tirar o tráfego de carga sobre trilhos do centro do município.
Por serem propostas convergentes, até pela frequência com a qual aparecem nas campanhas eleitorais, o consenso teve costura rápida, favorecida também pela postura de neutralidade de Bruno nos cenários estadual e nacional. Essa condição deve permanecer pelo menos até o primeiro semestre do próximo ano. Por ora, ninguém na Prefeitura quer antecipar o debate eleitoral de 2014. Ao contrário, a ordem é capitalizar o máximo possível a boa relação do prefeito com os governos federal e estadual. Em relação aos deputados federais, que caminham para concorrer à reeleição ou, no caso de Pestana, até mesmo ao Governo de Minas, o próprio Bruno antecipou o propósito de defender o voto em candidatos do município. "Sempre que necessário, vou falar da importância de termos bancadas fortes na Câmara e na Assembleia."
A postura do prefeito, segundo Júlio Delgado, será determinante para o sucesso ou fracasso dos pleitos de Juiz de Fora em Brasília. "Como deputado, vou defender sempre os interesses do município. Estou em Brasília por Juiz de Fora. Agora, é o prefeito quem vai decidir para onde Juiz de Fora vai." Para ele, ao escolher uma candidatura ao Governo de Minas ou à Presidência da República, haverá implicações na relação com os entes federativos. "Não tem jeito de ficar ao lado do PSDB e do PT. Vamos ter que esperar pela decisão do prefeito." No último mês, tucanos e petistas ensaiaram um primeiro embate com as propostas de lançamento do senador Aécio Neves (PSDB) e da presidente Dilma Rousseff à disputa presidencial. No mesmo período, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), revelou disposição para também entrar no páreo. Cenário que, se concretizado, pode ser interessante para os juiz-foranos, segundo Júlio Delgado. "Quem vier a ser o próximo presidente, terá um deputado de Juiz de Fora em seu partido."
Margarida evitou polemizar e não entrou no antecipado debate de 2014. Na sua avaliação, a atuação conjunta da bancada de Juiz de Fora e da Zona da Mata na Câmara dos Deputados vai colocar o município e a região em um patamar muito superior ao atual. "Estamos convergindo para uma agenda administrativa, que vai dar visibilidade à cidade e à região, aumentando nossa expressividade." Também com foco nas demandas locais e regionais, sem nenhuma menção ao processo sucessório do próximo ano, Pestana considerou os atores envolvidos no atual processo de construção coletiva como "maduros para diferenciarem os embates partidários eleitorais dos interesses da população". Para ele, "a democracia brasileira não comporta mais esse tipo de comportamento. Aprendemos a respeitar as diferenças ideológicas."

Demandas devem esbarrar em dificuldades
Além da manutenção da frente em defesa de Juiz de Fora, a despeito da disputa presidencial de 2014, os deputados federais Júlio Delgado (PSB), Margarida Salomão (PT) e Marcus Pestana (PSDB), bem como o prefeito Bruno Siqueira (PMDB) vão ter trabalho para emplacar as demandas locais junto ao Governo federal. A começar pela inclusão das obras viárias no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que deve esbarrar na prioridade dada aos empreendimentos voltados para a Copa do Mundo de 2014, será necessário muito jogo de cintura e prestígio para driblar os contratempos. Em alguns casos, entretanto, nem isso deve resolver. A conclusão da BR-440, por exemplo, carrega uma série de desconfiança por parte do Ministério dos Transportes, por conta das denúncias de irregularidades levadas ao Tribunal de Contas da União (TCU). Alocar mais recursos para uma nova licitação para o empreendimento é visto com reservas até mesmo pelas empreiteiras.
Mas nem tudo está perdido. A sinalização dada pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, na sexta-feira, em relação a inclusão das obras viárias no PAC deixou muita gente animada na Prefeitura. Outra aposta em relação a essa mesma empreitada é o encontro do prefeito com o vice-presidente Michel Temer (PMDB), agendado para esta semana. Quanto à reforma do Museu Mariano Procópio, que vem se arrastando pelas últimas duas administrações, Margarida vai usar a via partidária para chegar à ministra do Turismo, Marta Suplicy. Pestana também já destinou uma emenda parlamentar para o projeto. Aliás, o recurso das emendas parlamentares deve ser usado no caso de fracasso em todas as outras frentes. O problema, além do baixo valor destinado a cada deputado, calculado em R$ 15 milhões, é a incerteza em relação à execução pelo Governo federal.


Últimas Notícias



Galeria de Fotos