Bem-vindo à Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região!

Horário de Funcionamento de 13:00 às 19:00

Av. Getúlio Vargas, 455 / 4° andar Centro , Juiz de Fora, MG

(32) 3215.7100(32) 3217.9846

02Jan

Bruno Siqueira quer educação e saúde melhores para Juiz de Fora


por: Jornal Tribuna de Minas

Doze anos após ter ingressado na vida pública como vereador, Bruno Siqueira (PMDB) tomou posse nesta terça-feira (1º) como prefeito de Juiz de Fora. Para ele, sua chegada à Prefeitura é "a maior oportunidade de sua vida" e prometeu esforços para qualificar a educação, melhorar a saúde e promover o desenvolvimento. "Uma cidade que almeja um papel de destaque não pode ter índices de saúde e educação menores do que a média nacional." Falando para familiares e amigos de vereadores recém-empossados, além de autoridades civis, religiosas e militares presentes no Cine-Theatro Central, ele defendeu a criação de empregos de qualidade, "com perspectivas de ascensão, conhecimento e renda." Durante todo o seu discurso, de quatro páginas, Bruno usou o termo "retomada" em referência aos seus propósitos à frente do município. "Qualquer ação exitosa para retomar o nosso desenvolvimento tão falado depende essencialmente do município voltar a ser percebido nas esferas estadual e federal."

O prefeito, que chegou ao local da cerimônia de posse acompanhado pelo vice-prefeito Sérgio Rodrigues (PMDB), iniciou seu pronunciamento afirmando ter chegado a hora de "Juiz de Fora recuperar sua vocação progressista." O nome do município seria repetido outras 20 vezes ao longo de sua fala. Ele também fez menções aos grandes nomes da história da cidade, como Henrique Halfeld, Bernardo Mascarenhas e Mariano Procópio, além do poeta Murilo Mendes e do ex-presidente Itamar Franco, considerado seu principal padrinho político. Itamar, aliás, foi tomado como exemplo quando Bruno atacou a concentração de recursos "nas mãos da União." Segundo ele, quando era governador de Minas, Itamar "bradou" para defender os interesses de seu estado e pregou um novo pacto federativo. "Se não conseguiu o novo pacto esperado, Itamar obteve êxito na tarefa de elevar o estado novamente à vitrine nacional."

Além da distribuição de recursos concentrados atualmente no Governo federal, Bruno abordou outra questão de abrangência nacional: a distribuição dos royalties do petróleo. Para ele, trata-se de mais "uma distorção, um contrassenso, uma injustiça". Ele questionou o fato de os estados produtores ficaram com 70% dos recursos provenientes da extração do petróleo. "E o restante da Nação, como fica? E Juiz de Fora, como fica?" Aproveitando o mote, o prefeito disse que essa pergunta será feita a partir de agora em todas as esferas dos governos estadual e federal: "E Juiz de Fora, como fica?"

Por fim, Bruno revelou um pouco como pretende trabalhar nos quatros anos do seu mandato. Depois de lembra que em poucos minutos seria levado ao gabinete do prefeito, ele disse que não "pretende esquentar muito a cadeira". "Entendo que lugar de prefeito é na rua, ouvindo as necessidades da população, cobrando e fiscalizando o resultado das obras, trabalhando junto com os trabalhadores." No mesmo contexto, Bruno comprometeu-se a buscar recursos nos gabinetes de ministros e secretários de estado, que, segundo ele, devem ser, de fato, o gabinete do prefeito. "O prefeito deve estar no gabinete do ministro, que pode liberar a obra estruturante, e - por que não - na sala de espera da Presidência da República, que deve saber e ser lembrada sempre da importância de Juiz de Fora para Minas e para o país." Ao término do discurso, Bruno pregou unidade pela valorização de Juiz de Fora. "Vamos promover um coro pelo nosso desenvolvimento."

 Prefeito empossa secretários e realiza primeira reunião

Tão logo tomou posse como prefeito no Cine-Theatro Central, Bruno Siqueira (PMDB) seguiu para o prédio da Prefeitura, onde aconteceu a cerimônia de transmissão de cargo. Acompanhado por sua esposa, Daniele Camacho Siqueira, ele foi recebido pelo ex-prefeito Custódio Mattos (PSDB) e sua esposa, Mary Mattos. Na sala de reunião anexa ao gabinete do prefeito, o tucano, acompanhado de todos secretários de sua gestão, passou às mãos do seu sucessor os relatórios com informações sobre a atual situação financeira da Prefeitura.

Em seguida, Custódio fez a troca simbólica de cadeiras com Bruno, que encerrou a solenidade. Antes, Mary Mattos entregou um buquê de flores à nova primeira-dama. Terminada a solenidade, os antigos secretários deixaram o prédio da Prefeitura enquanto que seus sucessores chegavam para a primeira reunião de trabalho da nova administração. Bruno, que acompanhou Custódio até sua derradeira saída da sede do Executivo, deu posse ao seu primeiro escalão e, imediatamente depois, iniciou os despachos com sua equipe.

 Custódio se despede com 'muito obrigado e até já'

O ex-prefeito Custódio Mattos (PSDB) encerrou a solenidade de transmissão de cargos com um discurso de agradecimento aos seus secretários. Segundo ele, após ter iniciado o mandato, há quatro anos, com um conjunto de pessoas, terminou com uma equipe de trabalho. Na sua avaliação, seus comandados "fizeram bem" a Juiz de Fora. Por fim, ele disse que a história será responsável pelo julgamento e reconhecimento do seu legado desses últimos anos. "A todos, meu muito obrigado e até já."

Desde quando foi derrotado no primeiro turno das eleições 2012, Custódio defendeu sempre a necessidade de reconhecer com humildade o recado das urnas. Da mesma forma, comprometeu-se a encerrar sua gestão deixando a Prefeitura em condições melhores do que aquelas que encontrou em janeiro de 2009, quando tomou posse. Ontem, ele voltou a retomar o mesmo discurso, quando deixava a sede do Executivo. Depois de lembrar de algumas de suas realizações, afirmou estar deixando a casa em ordem e em uma situação bem melhor do que há quatro anos.


Últimas Notícias



Galeria de Fotos